sexta-feira, 28 de outubro de 2011

No Brasil

No Brasil, a democracia constituiu-se em experiência frágil, tendo em vista a tradição autoritária e os períodos de ditadura.
Apartir de meados de 1980, vivemos um processo de difícil redemocratização, quando conquistamos a possibilidade do voto na formação de governo. Mais ainda estamos distantes de uma democratização mais subjetiva que alcance a dimensão social e econômica. Vivemos uma democracia reduzida, sem plena participação política, restrita à democracia formal. Nessa direção a democracia não pode expandir-se como um conceito ligado a praticas participativas e igualitárias, mas sim permanecer reduzida às praticas de escolhas de governos.
A educação, cada vez mais assume a tarefa de produção e reprodução da sociedade, vinculando as questões do estado e do mundo do trabalho, à construção da identidade dos indivíduos. Atua singularmente na produção e reprodução da ordem cultural, social e econômica, formando gerações mais sem deixar de estar permeada pelos conflitos e contradições inerentes às ordens estabelecidas, tornando-se arena de disputa entre produção e reprodução.
Acredito no valor da democracia como forma de mediação na relação humana, bem como, pela confiança que tenho no potencial da escola em construir uma nova cultura em valores democráticos. A escola publica, apartir de sua universalização amplia a responsabilidade como instituição formadora da cidadania.
A democracia é um conceito vinculado ao advento da modernidade, pois “ A esperança da modernidade é criar acordos sociais mais democráticos, mais justos e mais equitativos”.( POPKEWITZ, 1997, pg 40).
A democracia pode ser concebida como regime político e um estado de direito. Esse conceito implica em diferentes graus de efetivação e vivencia, já que alguns regimes podem ser parcialmente democráticos.
A democracia também esta muitas vezes associada à conquista de bens extra-econômicas e ao fundamento e a ampliação dos chamados direitos humanos, no que conforme Bobbio (1992), podem ser historicizadas em três gerações: os direitos civis, os direitos sociais e os direitos identitários, cuja as possibilidades e características dependeram da conjuntura histórica de uma época.
O consenso em torno da democracia como forma de governo me parece um avanço significativo no processo civilizatório, mas nesse duro caminho percorrido, as possibilidades de vivencia democráticas foram extremamente encolhidas.
A escola e uma instituição privilegiada na construção da democracia.
A historia da democracia é um processo pleno de diversidades, contradições e divergências, e principalmente é processo humano e inacabado, aberto ao movimento histórico, a inventividade humana. A escola, ancorada na tradição mais aberta ao porvir, pode ser espaço de experimentação e construção de novas formas de sociabilidade, mais justa, mais distributiva e mais democrática.